Você não tem uma startup!

Acredito que os anos 10 serão conhecidos como a década das startups, devido ao boom existente em torno do assunto. Há uma euforia tão grande sobre o tema que ele já foi completamente banalizado. Muita gente vê os casos de sucesso e acha que montar uma startup é simples e divertido. Quer saber a verdade? Não é nada divertido!

Para começar, vamos (tentar) definir o que é uma startup. Selecionei a primeira definição que encontrei ao fazer a busca, apenas para ter um ponto de partida:

Muitas pessoas dizem que qualquer pequena empresa em seu período inicial pode ser considerada uma startup. Outros defendem que uma startup é uma empresa com custos de manutenção muito baixos, mas que consegue crescer rapidamente e gerar lucros cada vez maiores. Mas há uma definição mais atual, que parece satisfazer a diversos especialistas e investidores: uma startup é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza. (fonte – grifo nosso)

Obviamente, não há apenas uma definição e o mesmo termo representa coisas diferentes para pessoas diferentes. No entanto, enxergo como ponto principal a capacidade de adaptação e agilidade na tomada de decisões. Startups de verdade conseguem se remodelar de acordo com as tendências de mercado, ou seja, são capazes de pivotar rapidamente.

Infelizmente, montar uma startup virou modinha e todos acham que tem vocação para isso. Frequentemente sou procurado por pessoas com “ideias brilhantes, precisando apenas de alguém pra desenvolver o app”, “modelos de negócios revolucionários” ou o “Uber dos ___________”. Pois bem, se esse é o seu caso, você não tem uma startup. Startups de verdade não precisam de rótulos, não dependem da aceitação alheia e não ficam se comparando com a empresa X ou Y. Por isso, se você:

  • tem uma ideia revolucionária e precisa “apenas” de alguém pra criar o app…
  • tem um modelo de negócios inovador e totalmente diferente…
  • tem um produto extraordinário que ninguém compra…

você não tem uma startup!

Só para deixar claro, repita comigo:

  • Eu não tenho uma startup…
  • Eu não tenho uma startup…
  • Eu não tenho uma startup…
  • Eu não tenho uma startup…
  • Eu não tenho uma startup…

Pronto! Agora, em vez de querer montar uma startup, escolha um problema real e busque resolvê-lo da melhor forma possível. TALVEZ você crie uma startup, mas isso é apenas uma consequência. Se você tem a resposta para uma pergunta que nunca é feita, você não tem nada. Se você tem a solução para um problema que não existe, você não é essencial. Ah… isso não é verdade caso você seja o Steve Jobs, mas acho que ele não iria ler o meu blog.

Parafraseando o MinasUP, startup “é um estado de espírito“, não um CNPJ ou uma ideia. O que realmente diferencia uma startup é a capacidade de execução. Portanto, concentre seus esforços na solução de problemas reais, não na criação de uma startup. Isso é apenas uma consequência…

———————

Sei que esse é um tema muito polêmico e, talvez por isso, eu tenha demorado tanto a escrever sobre ele. Não tenho uma startup e não pretendo ter… apenas expresso minhas opiniões sobre o assunto, com base em opiniões pessoais. Sei que acabo sendo excessivamente direto nos meus textos e, com isso, gero descontentamento em muita gente. Obviamente, não sou dono da verdade e nem pretendo ser. Se você não concorda com o que escrevi, tudo bem. Você continua tendo o meu total respeito. Além disso, é muito provável que eu esteja errado em relação a isso. Afinal, como eu disse, eu não tenho uma startup.

Quer conversar sobre o tema? Vamos marcar uma um café ou uma cerveja (pegaram a referência?) e trocar ideias. O importante é estarmos em constante evolução, cada um naquilo em que se sente melhor.

2017-05-04T18:04:14+00:00